John Rolfe

Definição

Joshua J. Mark
por , traduzido por Ricardo Albuquerque
publicado em 16 Fevereiro 2021
X
translations icon
Disponível noutras línguas: Inglês, francês
Baptism of Pocahontas (by John Gadsby Chapman, Public Domain)
Batismo de Pocahontas
John Gadsby Chapman (Public Domain)

John Rolfe (v. 1585-1622) foi um comerciante inglês e colono de Jamestown, mais conhecido como o marido de Pocahontas (v. c. 1596-1617). Também se destacou, porém, pelo bem-sucedido cultivo de tabaco na Virgínia, que tornou esta cultura o mais lucrativo artigo de exportação das primeiras colônias inglesas na América do Norte.

O tabaco já se revelara uma lucrativa commodity comercial para os espanhóis, que haviam colonizado as Américas Central e do Sul e as Índias Ocidentais no decorrer do século XVI. Os ingleses esperavam o mesmo sucesso com sua colônia de Jamestown, mas o povoado lutou pela sobrevivência por três anos até que Rolfe chegou, em 1610, com sementes de tabaco que acreditava serem adequadas para o solo pantanoso da Virgínia. Rolfe colheu sua primeira safra em 1611, não apenas salvando a colônia, mas estabelecendo uma cultura comercial que formaria a base da economia da América colonial.

Remover publicidades
Advertisement

Ele se casou com Pocahontas em 1614, uma união que forjou a paz entre os colonos e os nativos americanos da Confederação Powhatan. O casal teve um filho e viajou para a Inglaterra em 1616, numa excursão de relações-públicas para encorajar investimentos adicionais em Jamestown. Pocahontas, que se convertera ao cristianismo, recebendo o nome cristão de Rebeca, adoeceu e morreu em 1617. Rolfe deixou seu filho a cargo de seu irmão e retornou a Jamestown, onde se casou pela terceira vez, agora com Jane Pierce, em 1619.

A paz estabelecida pelo casamento com Pocahontas gradualmente dissolveu-se à medida que mais colonos chegavam da Inglaterra e mais terra era ocupada para povoados e plantações de tabaco. Em 1622, a Segunda Guerra Powhatan estourou, com mais de 300 colonos mortos. Rolfe morreu neste mesmo ano, mas a causa da morte é desconhecida, assim como seu local de sepultamento.

Remover publicidades
Advertisement

Esta é a versão da vida de Rolfe geralmente aceita, mas há uma contestação proveniente da tradição oral dos nativos americanos mattaponi, segundo a qual Pocahontas foi sequestrada e estuprada em 1613 e engravidou. Rolfe teria então se casado com ela com a única finalidade de ocultar o estupro de seu pai, e que ela acabou sendo assassinada (por envenenamento) a bordo do navio na Inglaterra. Estes dois relatos bastante diferentes sobre Rolfe e sua relação com Pocahontas continuam a ser debatidos.

Espanha, Tabaco e a Colonização Inglesa

Rolfe foi o “pai do tabaco” nas colônias da Virgínia.

Ambas as versões concordam, porém, que Rolfe foi o "pai do tabaco" nas colônias da Virgínia. Havia dois tipos de tabaco que cresciam naturalmente nas Américas: Nicotiana rustica (mais comum ao norte) e Nicotiana tabacum (que aparecia primordialmente no sul). Cristóvão Colombo (v. 1451-1506) reivindicou as Índias Ocidentais e partes da América do Sul para a Espanha em suas expedições, a partir de 1492, e outras forças expedicionárias espanholas se seguiram, colonizando as Américas Central e do Sul e a atual Flórida ao longo do século XVI. Colombo recebeu tabaco como presente de boas-vindas dos nativos das Índias Ocidentais após sua chegada e iniciou o cultivo comercial, através do sistema de encomienda que, basicamente, escravizava a população indígena para dispor de mão de obra barata.

Remover publicidades
Advertisement

A espécie Nicotiana tabacum se tornou a mais lucrativa exportação das Américas, rapidamente estabelecendo um mercado consumidor com alta demanda, o que enriqueceu os proprietários de terras espanhóis nas colônias e os mercadores na Espanha. Os ingleses queriam replicar este sucesso e, assim, fundaram a Colônia Roanoke na América do Norte, em 1585. A primeira tentativa falhou e a segunda, em 1587, desapareceu por volta de 1590. Sir Walter Raleigh (v. c. 1552-1618), que tinha supervisionado as expedições, introduziu a espécie Nicotiana rustica na Inglaterra por volta de 1585 e, embora houvesse mercado para ela, estava longe de ser tão popular quando o produto espanhol. Os consumidores acharam o produto de Raleigh amargo e difícil de fumar, se comparado com o tabaco espanhol, mais suave e de melhor sabor. Os espanhóis perceberam o valor de seu produto e o protegiam cuidadosamente, declarando pena de morte para qualquer espanhol que compartilhasse sementes de tabaco ou plantas com estrangeiros.

Tobacco Drying
Secagem de tabaco
Ryan (CC BY)

Jamestown e Bermuda

John Rolfe nasceu no mesmo ano em que Raleigh levou o tabaco para a corte inglesa. Filho de Dorothea (nome de solteira Mason) Rolfe, seu pai, possivelmente, era um comerciante. Pouco é conhecido da vida pregressa de Rolfe, exceto que, por volta de 1608/1609, ele estava casado (possivelmente com uma certa Sarah Hacker, ainda que isso pareça especulativo, pois sua esposa não aparece em documentos da época). Ele deve ter tido conexões com a Companhia da Virgínia de Londres – a coalização de homens de negócios e investidores que financiou a fundação da Colônia de Jamestown da Virgínia – porque estava incluído entre os passageiros de prestígio do Sea Venture, navio de suprimentos que partiu da Inglaterra em 1609. A embarcação levava também o novo governador, Sir Thomas Gates (v. c. 1585-1622), o escritor William Strachey (v. 1572-1621) e o novo capelão do povoado, o padre anglicano Richard Buck, auxiliado pelo então desconhecido Stephen Hopkins (v. 1581-1644), que mais tarde ganhou fama através do Mayflower e da Colônia de Plymouth.

Jamestown foi fundada em 1607 por uma expedição composta em grande parte por aristocratas e trabalhadores sem especialização das classes baixas, e todos (ou a maioria) acreditavam que a América do Norte era uma terra na qual havia abundância de ouro, que só precisava ser recolhido do chão. Esta ilusão tinha sido encorajada pelos relatos das conquistas espanholas, que enfatizavam as riquezas do Novo Mundo. Consequentemente, Jamestown dificilmente alcançou, a princípio, o grande sucesso que os investidores haviam esperado, pois os colonos eram inexperientes no trabalho com a terra ou perdiam o ânimo quando percebiam que não havia pilhas de ouro prontas para serem apanhadas e, assim, devotavam seus esforços à pura e simples sobrevivência.

Remover publicidades
Advertisement

Os colonizadores foram disciplinados e organizados pelo Capitão John Smith (v. 1580-1631), integrante da primeira expedição, mas ele retornou à Inglaterra no outono de 1609, após ser ferido num acidente. Sem sua liderança, que tratou de estabelecer boas relações com o Chefe Wahunsenacah (v. c. 1547-c. 1618, também conhecido como Chefe Powhatan), da Confederação Powhatan da região, a colônia entrou em declínio. O inverno de 1609-1610 passou a ser conhecido como o Tempo da Fome, durante o qual as pessoas foram forçadas a comer ratos, cães, cavalos e finalmente cadáveres para sobreviver.

Historic Jamestowne
Jamestown Histórica
Ken Lund (CC BY-SA)

O Tempo da Fome ocorreu não somente pela inabilidade dos colonos em cultivar com sucesso as terras pantanosas da Virgínia, mas também pela ausência de suprimentos externos, que deveriam ter chegado à colônia em 1609. O Sea Venture, apanhado numa tempestade em Julho de 1609, naufragou nos recifes de Bermuda (acontecimento que inspirou Shakespeare a escrever a peça A Tempestade). Rolfe e os demais passaram os meses seguintes nas ilhas desabitadas, enquanto construíam dois navios para conseguir chegar à América. Neste período, morreram a esposa de Rolfe, Sarah, e sua filha pequena, Bermuda. Finalmente, em Maio de 1610, os navios ficaram prontos e o grupo navegou até Jamestown.

Rolfe e o Tabaco

Os recém-chegados encontraram a colônia em completa desordem. Sir Thomas Gates declarou o fim de Jamestown e ordenou aos sobreviventes que arrumassem suas coisas e se preparassem para retornar à Inglaterra. O grupo navegava pelo Rio James quando se deparou com outro navio, levando o nobre Thomas West, Lorde De La Warr (v. 1577-1622), que passou a comandá-los. De La Warr assumiu a administração da colônia, delegando responsabilidades a Gates, e iniciou uma nova política com os powhatans, que resultou na Primeira Guerra Powhatan (1610-1614). Nesse meio tempo, Rolfe instalou-se num espaço de terreno e, a princípio, tentou cultivar a espécie Nicotiana rustica nativa. William Strachey criticou este produto como “ruim, fraco e de gosto amargo” e Rolfe teve pouco sucesso a princípio (Goodman, 134). Porém, ele dispunha de sementes híbridas de Nicotiana tabacum provenientes de Trinidad e decidiu experimentá-las. O estudioso Jordan Goodman comenta:

Remover publicidades
Advertisement

De quem Rolfe adquiriu suas sementes não se sabe, embora houvesse contato entre a Virgínia e Trinidad, através de mercadores ingleses e marinheiros [...] Qualquer um entre o considerável número de comerciantes ingleses e holandeses que rondava Trinidad e o delta do Orinoco e desembarcasse na Virgínia poderia ter levado as sementes para Rolfe. (135)

É igualmente possível que as sementes tenham sido adquiridas em Bermuda, reivindicada pela Espanha através do explorador Juan de Bermúdez (m. 1570), em 1505, mas nunca colonizada. Os navios espanhóis tendiam a evitar as ilhas porque eram consideradas assombradas por demônios e espíritos malignos, mas é possível que N. tabacum estivesse crescendo de forma selvagem na região ou que uma embarcação da Espanha tivesse deixado algumas plantas ali. Seja qual fosse o meio pelo qual colocou as mãos nas sementes, ele aperfeiçoou seu cultivo e colheu a primeira safra por volta de 1611.

Dried Tobacco
Tabaco seco
Maureen (CC BY)

Rolfe chamou sua mistura de Orinoco (possivelmente em homenagem a Sir Walter Raleigh, que tinha explorado aquela região) e exportou sua primeira carga em 1612; dois anos depois, já era um homem rico, com uma grande plantação que se estendia ao longo do Rio James até o povoado de Henricus, fundado por Sir Thomas Dale (v. c. 1560-1619) em 1611.

Casamento com Pocahontas

Lorde De La Warr caíra doente em 1611 e designou Sir Samuel Argall (v. c. 1580-1626) como a principal autoridade da colônia. Argall manteve as políticas do antecessor em relação aos powhatans e, com isso, as hostilidades continuaram. Os powhatans aprisionaram vários colonos e Argall não descobriu um meio de trazê-los de volta até que soube que a filha do Chefe Wahunsenacah, Pocahontas, vivia (possivelmente com seu marido, mais tarde assassinado) num povoado próximo e a levou como prisioneira para Henricus em troca de resgate. Wahunsenacah devolveu os prisioneiros e aguardou a libertação de sua filha, mas Argall alegou que o chefe não tinha cumprido os termos do acordo e a manteve na colônia.

Pocahontas e Rolfe foram casados por Richard Buck em Abril de 1614 e sua união encerrou a Primeira Guerra Powhatan.

Durante seu tempo em Henricus, Pocahontas foi convertida ao cristianismo, aprendeu inglês e entrou em contato com Rolfe, que visitava regularmente o povoado. Houve uma atração mútua e Rolfe escreveu ao então governador Dale, pedindo-lhe permissão para o casamento. Foram casados por Richard Buck em Abril de 1614 e sua união encerrou a Primeira Guerra Powhatan. Em Janeiro de 1615, seu filho Thomas (v. 1615 - 1680) nasceu e o casal parece ter vivido feliz na fazenda de Rolfe.

A paz com os powhatans trouxe estabilidade, o que permitiu uma proliferação desmedida das plantações de tabaco. Goodman observa que "a economia da Virgínia explodiu numa rápida expansão e onde quer que o tabaco pudesse ser plantado, lá estava" (135). O segredo do sucesso de Rolfe foi a mistura particular do seu tabaco Orinoco, que tinha um sabor mais doce quando mascado ou fumado e queimava facilmente nos cachimbos, trazendo uma experiência muito mais suave do que qualquer outra espécie.

Viagem à Inglaterra

A Companhia da Virgínia, finalmente vendo um retorno generoso para seus investidores, queria encorajá-los ainda mais. A empresa tinha recebido apoio para sua carta régia em 1607 ao alegar que a salvação das almas dos nativos americanos seria um de seus objetivos principais e agora, com Pocahontas, dispunha de um excelente exemplo de sucesso. Rolfe e sua família foram convidados para viajar à Inglaterra em 1616, para o que se transformou numa excursão promocional sobre Jamestown.

O grupo de Rolfe chegou à Inglaterra em Junho de 1616, na companhia do sacerdote nativo americano (e cunhado de Pocahontas) Tomocomo, enviado pelo chefe Wahunsenacah para observar e dar-lhe informações sobre o país, além de outros membros da tribo. O navio foi capitaneado por Argall, o mesmo homem que tinha sequestrado Pocahontas anos antes. A comitiva seguiu com direito a escolta para Londres, onde Pocahontas compareceu a várias cerimônias na corte, acompanhada por Lorde De La Warr e sua esposa, sempre apresentada como uma "Princesa Indígena".

Portrait of Pocahontas
Retrato de Pocahontas
The Trustees of the British Museum (Copyright)

O rei Jaime I da Inglaterra (r. 1603-1625) tinha repulsa ao tabaco e até escreveu um tratado condenando-o (Uma Reação Enérgica ao Tabaco), mas não conseguiu bani-lo, pois a planta era muito lucrativa. Portanto, uma reunião formal entre Rolfe e o rei foi desencorajada, já que “Rolfe, como o pai do crescente comércio de tabaco da Virgínia, personificava um dos tormentos reais: o fumo de cachimbo apreciado por mais e mais súditos” (Price, 177). Eventualmente, no entanto, o grupo encontrou-se com o rei (embora não tenham sido formalmente apresentados), com a Rainha Anne e outros dignatários.

Eles também se encontraram com o Capitão John Smith que, de acordo com o relato do próprio, tivera a vida salva por Pocahontas quando prisioneiro dos powhatans, anos atrás. Smith relata como, na Inglaterra, Rolfe o levou para se encontrar com Pocahontas, que fora informada pelos colonos em Jamestown que o capitão estava morto. Após vê-lo são e salvo, escreve Smith, ela afirmou que se tratava de uma prova adicional das mentiras dos ingleses. Rolfe não faz menção a este encontro, mas outros relatos corroboram o relato do capitão de que as coisas parecem não ter corrido bem.

Conta-se que Pocahontas queria permanecer na Inglaterra, mas os interesses comerciais de Rolfe estavam na Virgínia, e ele tinha de retornar. Em Março de 1617, o grupo embarcou no navio de Argall, o George, para a viagem de volta, mas a jovem não se sentia bem. O estudioso David A. Price escreve:

Rolfe aparentemente supôs que o mal-estar da esposa não era nada mais sério do que os problemas respiratórios que iam e vinham entre os muitos habitantes da poluída Londres. À medida que o navio se aproximava da vila de Gravesend, ele percebeu o seu erro. Pocahontas estava morrendo. Argall ancorou o navio na vila e ela foi levada para terra firme. (182)

Morreu logo depois e seu funeral aconteceu em 21 de Março de 1617. Price observa que “em geral acredita-se que sua condição seria uma infecção pulmonar, tal como a pneumonia ou tuberculose” (182). O filho, Thomas, parecia sofrer do mesmo mal e, assim, Rolfe deixou-o sob os cuidados de um funcionário em Gravesend até que seu irmão, Henry, pudesse pegá-lo. Retornou ao navio e navegou de volta à Virgínia; ele jamais veria seu filho novamente.

Conclusão

A paz estabelecida pelo casamento de Rolfe com Pocahontas ainda se manteve e Argall informou que o Chefe Wahunsenacah, ainda que lamentando a morte da filha, ficou aliviado em saber que seu neto ainda vivia e, assim, manteve a paz em sua homenagem. Tomocomo fez um relatório negativo para o chefe powhatan e os anciãos, denunciando os ingleses e alertando que não eram confiáveis. De acordo com Thomas Dale, as afirmações de Tomocomo foram refutadas por um grupo de colonos junto ao Chefe Powhatan, e o denunciante, envergonhado, acabou sendo obrigado a voltar atrás em suas declarações. À luz do que veio a ocorrer, porém, este relato é suspeito.

É mais provável que as acusações de Tomocomo contra os ingleses tenham sido levadas a sério, pois as tensões começaram a crescer entre colonos e nativos. Rolfe continuou sua vida na fazenda e casou-se com Jane Pierce, filha do capitão da milícia William Pierce, em 1619; eles tiveram uma filha, Elizabeth. Wahunsenacah morreu por volta de 1618, mas já tinha sido sucedido pelo seu irmão, Opchanacanough (v. 1554-1646), que deu mais peso às palavras de Tomocomo do que às dos imigrantes, cujas promessas e tratados nunca eram mantidos.

Em 1622, Opchanacanough lançou um ataque coordenado, chamado pelos escritores ingleses da época colonial como o Massacre Indígena de 1622, que resultou na morte de 300 colonizadores e na destruição da colônia de Henricus. A fazenda de Rolfe estava diretamente no caminho desta colônia e, por isso, presume-se que ele foi morto no massacre, mas não há prova disso. A plantação de Rolfe sobreviveu ao ataque e sua esposa e filha ainda viviam na década de 1630. Elizabeth morreu em 1635, possivelmente no parto.

Nesta versão da vida de Rolfe, ele é um cidadão honrado, mas a história oral mattaponi pinta um retrato muito diferente, como um oportunista que aprendeu os segredos do cultivo do tabaco com o chefe powhatan, casou-se com Pocahontas por obrigação e envenenou sua esposa para impedi-la de informar ao pai o que tinha aprendido na Inglaterra. Nesta versão, Tomocomo revela aos powhatans o que Pocahontas não viveu o suficiente para contar. Este é o outro lado da longamente aceita versão da vida de Rolfe escrita pelos vitoriosos, e que acaba marginalizada devido ao desafio que faz à narrativa "oficial".

John Rolfe Tobacco
Tabaco John Rolfe
Joe Haupt (CC BY-SA)

Atualmente, Rolfe é homenageado no Estado da Virgínia em vários logradouros públicos mas, provavelmente, poucos que percorrem estes locais sabem quem ele foi, o que fez ou que seu tabaco - a Mistura John Rolfe - continua à venda. Ele agora é mais conhecido, ao menos entre certos grupos demográficos, como o marido de Pocahontas (cuja imagem apareceria depois em pacotes de cigarros e em anúncios desta indústria), graças à animação produzida diretamente para o mercado de vídeo, sequência do popular filme de animação Pocahontas, mais do que por sua contribuição para a economia e expansão da América Colonial.

Em sua própria época, no entanto, Rolfe era o mais conhecido cidadão da Colônia de Jamestown, respeitado pelos comerciantes de Londres e ainda mais pelos fãs do tabaco bastante popular, viciante e lucrativo que cultivou. De acordo como Centro para Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, o uso de tabaco resulta na morte de 480.000 pessoas por ano no país e, ainda assim, o produto de Rolfe continua a ser um hábito mundial, relevante não somente para a economia da Virgínia mas como a dos norte-americanos como um todo.

Remover publicidades
Publicidade

Sobre o tradutor

Ricardo Albuquerque
Ricardo é um jornalista brasileiro que vive no Rio de Janeiro. Seus principais interesses são a República Romana e os povos da Mesoamérica, entre outros temas.

Sobre o autor

Joshua J. Mark
Escritor freelance e ex-professor de filosofia em tempo parcial no Marist College, em Nova York, Joshua J. Mark viveu na Grécia e na Alemanha e viajou pelo Egito. Ele ensinou história, redação, literatura e filosofia em nível universitário.

Citar este trabalho

Estilo APA

Mark, J. J. (2021, Fevereiro 16). John Rolfe [John Rolfe]. (R. Albuquerque, Tradutor). World History Encyclopedia. Obtido de https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-19419/john-rolfe/

Estilo Chicago

Mark, Joshua J.. "John Rolfe." Traduzido por Ricardo Albuquerque. World History Encyclopedia. Última modificação Fevereiro 16, 2021. https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-19419/john-rolfe/.

Estilo MLA

Mark, Joshua J.. "John Rolfe." Traduzido por Ricardo Albuquerque. World History Encyclopedia. World History Encyclopedia, 16 Fev 2021. Web. 21 Abr 2024.