Corinto

Definição

Mark Cartwright
por , traduzido por Jônia Carvalho Diniz
publicado em 02 Setembro 2009
X
translations icon
Disponível noutras línguas: Inglês, croata, francês, espanhol
Temple of Apollo, Corinth (by Mark Cartwright, CC BY-NC-SA)
Templo de Apolo, Corinto
Mark Cartwright (CC BY-NC-SA)

Corinto era uma cidade grega, helenística e romana localizada no istmo que liga a Grécia continental com o Peloponeso. Cercada por planícies férteis e abençoada com fontes naturais, a antiga Corinto era um centro de comércio, possuía uma frota naval e participava de várias guerras gregas.

No período romano, Corinto foi uma grande colônia e por mais de um milênio, raramente esteve fora dos holofotes. A cidade ficou famosa pela visita do Apóstolo Paulo c. 51 CE. Hoje, a antiga cidade está em ruínas, mas ainda existe um impressionante templo dedicado a Apolo.

Remover publicidades
Advertisement

Corinto na Mitologia

Não sendo um grande centro micênico, Corinto carece da herança mitológica de outras cidades-estado gregas. No entanto, acredita-se que o mítico fundador da cidade tenha sido o rei Sísifo, famoso por seu castigo no Hades, onde ele foi obrigado a enrolar para sempre uma grande rocha no alto de uma colina. Sísifo foi sucedido por seu filho Glaucus e seu neto Bellerophon, cujo cavalo alado Pégaso se tornou um símbolo da cidade e uma característica das moedas coríntias. Corinto é também o cenário de vários outros episódios da mitologia grega, como a caça ao javali de Theseus, Jasão se estabeleceu lá com Medéia depois de suas aventuras em busca do Velo de Ouro, e há o mito de Arion - o real e dotado tocador de cítara residente de Corinto - que foi resgatado por golfinhos depois de ter sido sequestrado por piratas.

Panorama histórico

Habitado pela primeira vez no período Neolítico (c. 5000 a.C.), o local tornou-se mais densamente povoado a partir do século 10 a.C. Os fundadores históricos da cidade foram os descendentes aristocráticos do rei Bacchis, os Bacchiadae, em c. 750 a.C. Estes substituíram a longa linhagem de reis que se estendia no tempo antes dos registros históricos. Os Bacchiadae governaram com um grupo de 200 até que em 657 a.C. o popular tirano Cypselus assumiu o controle da cidade, para ser sucedido por seu filho Periander (re. c. 627-587 a.C.). Cypselus financiou a construção de uma tesouraria em Delfos e fundou colônias que incluíam Ambracia, Anactorium, e Leucas. Estes se somaram às colônias existentes de Corinto de Corcyra (Corfu) e Siracusa na Sicília, que haviam sido fundadas em 734 a.C. (data tradicional).

Remover publicidades
Advertisement

Corinthian Vessel with Protome
Vaso coríntio com Protome
Mary Harrsch (Photographed at the Getty Villa, Malibu) (CC BY-NC-SA)

A partir do século VIII a.C., a alta qualidade da cerâmica coríntia levou à sua exportação através da Grécia. De fato, a cerâmica coríntia, com sua decoração inovadora, dominaria o mercado de cerâmica grego até o século VI a.C., quando a cerâmica de figuras pretas da Ática passou a ser o estilo dominante. Outras exportações significativas foram a pedra coríntia e os objetos de bronze. Corinto também se tornou o centro do comércio através da diolkos. Esta era uma pista de pedra com ranhuras esculpidas para vagões com rodas que oferecia um atalho de terra entre os portos de Lechaion no Golfo de Corinto e Kenchreai no Golfo Sarônico e provavelmente data do reinado de Periander. Na Guerra do Peloponeso, o diolkos foi até utilizado para transportar trirremes de um mar para o outro e continuou a ser utilizado até o século IX EC. Embora a idéia de um canal através do istmo tenha sido considerada pela primeira vez no século VII a.C. e vários imperadores romanos, de Júlio César a Adriano, tenham iniciado estudos preliminares de viabilidade, foi Nero quem realmente iniciou o projeto em 67 d.C. Entretanto, com a morte do imperador, o projeto foi abandonado após três meses, para ser retomado somente em 1881 CE.

Desde o início do século VI a.C., Corinto administrou os jogos Pan-Helênicos na vizinha Isthmia, realizados a cada dois anos na primavera. Estes jogos foram estabelecidos em homenagem a Poseidon e eram particularmente famosos por suas corridas de cavalos e carruagens.

Remover publicidades
Advertisement

Uma oligarquia, formada por um conselho de 80, ganhou poder em Corinto em c. 585 a.C. Preocupado com o rival local Argos, c. 550 a.C. Corinto tornou-se aliado de Esparta. Juntos, lançaram uma expedição contra os Policratas de Samos em c. 525 a.C., mas acabou não sendo bem-sucedida. Durante o reinado de Cleomenes, no entanto, a cidade desconfiou do poder crescente de Esparta e se opôs à intervenção espartana em Atenas. Corinto também lutou nas Guerras Persas contra as forças invasoras de Xerxes que ameaçavam a autonomia de toda a Grécia.

Corinto sofreu muito na Primeira Guerra do Peloponeso, pela qual foi responsável depois de ter atacado Megara. Os Coríntios também foram fundamentais para causar a Segunda Guerra do Peloponeso, quando sentiram que seus interesses regionais centrados em Corcyra foram ameaçados por Atenas em 433 a.C. Mais uma vez, porém, os coríntios, principalmente como aliados navais de Esparta, tiveram uma guerra desastrosa. A cidade, porém, defendeu com sucesso sua colônia de Siracusa quando foi atacada pelas forças atenienses. Desiludido com a relutância de Esparta em destruir completamente Atenas após sua vitória na guerra em 404 a.C. e preocupado com a expansão espartana na Grécia e na Ásia Menor, Corinto formou uma aliança no século IV com Argos, Boécia, Tebas e Atenas para combater Esparta nas Guerras Coríntias (395-386 a.C.). O conflito foi em grande parte combatido no mar e em território coríntio e foi mais um esforço dispendioso para os cidadãos de Corinto.

A CIDADE ESTAVA MAIS UMA VEZ FLORESCENDO NO SÉCULO 1 CE E SE TORNOU UM IMPORTANTE CENTRO ADMINISTRATIVO E COMERCIAL.

Um último conflito, desta vez contra a invasão de Filipe II da Macedônia, foi novamente perdido em Chaeronea, em 338 a.C. Corinto tornou-se a sede da Liga Coríntia, mas uma consequência infeliz desta honra duvidosa foi uma guarnição macedônia sendo estacionada na acrópole de Acrocorinto com vista para a cidade. Uma sucessão de reis helenistas tomou o controle da cidade - começando com Ptolomeu I e terminando com Aratus em 243 a.C., quando o Corinthians se juntou à Liga Achaean. Pior foi quando o comandante romano Lucius Mummius saqueou a cidade em 146 a.C.

Remover publicidades
Advertisement

Um período mais brilhante voltou à cidade quando Júlio César fundou sua colônia no local em 44 a.C. e organizou as terras agrícolas em parcelas organizadas (centuriação) para distribuição aos colonos romanos. A cidade estava mais uma vez florescendo no século I a.C. e se tornou um importante centro administrativo e comercial. Além disso, após a visita de São Paulo entre 51 e 52 d.C., Corinto tornou-se o centro do cristianismo primitivo na Grécia. Em audiência pública, o santo teve que se defender das acusações dos hebreus da cidade de que sua pregação minou a Lei Mosaica. O pró-consul Lucius Julius Gallio julgou que Paulo não havia violado nenhuma lei romana e por isso foi autorizado a continuar seus ensinamentos. A partir do século III EC, a cidade começou a declinar e as tribos germânicas Heruli e Alaric atacaram a cidade em 267 EC e 396 EC, respectivamente.

Ruined Shop, Corinth Agora
Ruínas de uma loja, Ágora de Corinto
Mark Cartwright (CC BY-NC-SA)

O Sítio Arqueológico

Na antiga Corinto havia cultos a Afrodite (protetora da cidade), Apolo, Deméter Thesmophoros, Hera, Poseidon e Helios e vários edifícios para cultuar heróis, os fundadores da cidade. Além disso, existiam várias fontes sagradas, sendo a mais famosa Peirene. Infelizmente, a destruição em 146 a.C. obliterou grande parte deste passado religioso. Na Corinto Romana, Afrodite, Poseidon e Deméter continuaram a ser adorados junto com os deuses romanos.

O local hoje, escavado pela primeira vez em 1892 CE pelo Serviço Arqueológico Grego, é dominado pelo Templo Dórico Peripteral de Apolo (c. 550-530 a.C.), originalmente com 6 colunas nas fachadas e quinze nas laterais. Uma característica particular do templo é o uso de colunas monolíticas em vez dos tambores de colunas mais comumente usados. Sete colunas permanecem de pé hoje em dia.

Remover publicidades
Advertisement

A maioria dos outros edifícios sobreviventes datam do século I d.C. na época romana e incluem um grande fórum, um templo para Octávia, banhos, a Bema onde São Paulo se dirigiu aos Coríntios, o templo Asklepeion para Asclepius, e um centro de cura, fontes - incluindo o monumental complexo de fontes Peirine (século II d.C.) -, uma propiléia, teatro, odeion, ginásio e estoas. Há também os restos de três basílicas.

Os achados arqueológicos no local incluem muitos mosaicos finos - notadamente o mosaico de Dionísio - escultura grega e romana - incluindo um número impressionante de bustos de governantes romanos - e exemplos notáveis de todos os estilos de cerâmica grega, a primeira fonte da fama da cidade no mundo antigo.

Remover publicidades
Publicidade

Bibliografia

A World History Encyclopedia é um associado da Amazon e recebe uma comissão sobre as compras de livros elegíveis.

Sobre o tradutor

Jônia Carvalho Diniz
Jônia Diniz é tradutora certificada com formação em inglês, francês e espanhol. Mora no Brasil. Entusiasta da História.

Sobre o autor

Mark Cartwright
Mark é autor, pesquisador, historiador e editor em tempo integral. Seus principais interesses incluem arte, arquitetura e descobrir as ideias que todas as civilizações compartilham. Ele possui mestrado em Filosofia Política e é diretor editorial da WHE.

Citar este trabalho

Estilo APA

Cartwright, M. (2009, Setembro 02). Corinto [Corinth]. (J. C. Diniz, Tradutor). World History Encyclopedia. Obtido de https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-218/corinto/

Estilo Chicago

Cartwright, Mark. "Corinto." Traduzido por Jônia Carvalho Diniz. World History Encyclopedia. Última modificação Setembro 02, 2009. https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-218/corinto/.

Estilo MLA

Cartwright, Mark. "Corinto." Traduzido por Jônia Carvalho Diniz. World History Encyclopedia. World History Encyclopedia, 02 Set 2009. Web. 12 Abr 2024.