Oliver Cromwell

Definição

Mark Cartwright
por , traduzido por Ellen Pastorino
publicado em 02 Fevereiro 2022
X
translations icon
Disponível noutras línguas: Inglês, francês, espanhol
Oliver Cromwell (by Samuel Cooper, Public Domain)
Oliver Cromwell
Samuel Cooper (Public Domain)

Oliver Cromwell (1599-1658) foi um exímio comandante de cavalaria, depois chefe do Exército do Novo Tipo ‘New Model Army ‘ do Parlamento e, mais tarde, Lorde Protetor da Inglaterra, Escócia e Irlanda. Este último título foi concedido a Cromwell por toda a vida após a conclusão sangrenta das Guerras Civis Inglesas (1642-1651) e a execução do Rei Carlos I da Inglaterra (r. 1625-1649).

Cromwell era um puritano e um radical cuja a série de vitórias no campo de batalha nas Ilhas Britânicas o levou a acreditar que havia sido encarregado por Deus de livrar o povo de um rei impiedoso. Cromwell continua sendo uma figura controversa, visto como um visionário político, gênio militar, fanático religioso, invasor insensível e déspota regicida. Independentemente do que ele tenha sido, quando sua morte em 1658 encerrou seu cargo como Lord Protetor, as paisagens políticas, religiosas e militares da Inglaterra mudaram para sempre.

Remover publicidades
Advertisement

Juventude

COMO UM PURITANO COMPROMETIDO, CROMWELL VIVEU COM SIMPLICIDADE, VESTIU-SE COM SOBRIEDADE & DESFRUTOU DE ATIVIDADES MODESTAS.

Oliver Cromwell nasceu em 25 de abril de 1599, seu pai era Robert Cromwell, um modesto cavalheiro do campo, e sua mãe era Elizabeth Steward. Oliver passou sua infância em Huntingdon antes de frequentar a Universidade de Cambridge por um ano. Cromwell casou-se com Elizabeth Bourchier em 22 de agosto de 1620, e eles tiveram sete filhos, sendo mais famoso o mais velho, Richard (nascido em 1626). Em 1628, ele representou um distrito de Cambridgeshire como membro do Parlamento. Na década de 1630, Cromwell, enquanto vivia como fazendeiro perto de St. Ives em Anglia Oriental, passou por uma conversão religiosa. A partir de então, era raro que ele falasse ou escrevesse sem acrescentar em seu fervoroso discurso, uma linguagem religiosa típica de um Independente ou Congregacionalista zeloso, alguém que clamava por mais inclusão na Igreja e maior liberdade para congregações 'independentes' que se reuniam de acordo com a consciência de cada religioso.

Como um puritano comprometido, Cromwell viveu com simplicidade, vestiu-se com sobriedade e desfrutou de atividades modestas e tradicionais como a caça e a falcoaria. Em meados da década de 1630, sua fortuna aumentou após a morte de um tio e a herança de uma propriedade perto de Ely, Cambridgeshire. Em 1640, Cromwell estava de volta ao Parlamento como deputado por Cambridge.

Remover publicidades
Advertisement

Cromwell at Marston Moor
Cromwell em Marston Moor
Ernest Crofts (Public Domain)

O historiador R. Starkey dá o seguinte resumo do caráter de Cromwell:

Ele era um homem grande, ossudo, prático, um tanto desajeitado – esportivo, pouco erudito, apesar de seus dias em Cambridge,
mas com o dom da conversa e um talento para a liderança popular. Destemido, sem respeito pelas pessoas, por mais grandiosas que fossem, nem pelas instituições, por mais veneráveis que fossem, Cromwell era um homem que aguardava que Deus se revelasse a ele em ações.

(342)

Comandante de Cavalaria

Em julho de 1642, a Inglaterra finalmente entrou em guerra civil após anos de disputas políticas e promessas vazias entre o Parlamento e o Rei Carlos I. Os dois lados haviam discordado sobre dinheiro, religião e como o poder político deveria ser distribuído. Os lados opostos ficaram conhecidos como os Roundheads, 'cabeças redondas' (Parlamentares) e Cavaliers, ‘cavaleiros’ (Monarquistas). Durante os primeiros anos de guerra, a maioria dos Parlamentares queriam apenas forçar o rei a ver o erro de seus atos e ter alguns de seus poderes restringidos pelo Parlamento. Não era, ainda, um objetivo abolir a monarquia.

A partir de 1642, Cromwell foi capitão da cavalaria do exército da Associação Oriental do Parlamento, liderado por Edward Montagu, Conde de Manchester (1602-1671). Ele comandou sua própria tropa, que expandiu graças à riqueza de suas propriedades em Ely.

Remover publicidades
Advertisement

Oliver Cromwell in Armour
Oliver Cromwell em armadura
Unknown Artist (Public Domain)

Cromwell tornou-se comandante de cavalaria graças ao seu sucesso como líder e às vitórias que conquistou no campo de batalha. Cromwell era um disciplinador rigoroso e acreditava que era o instrumento de Deus contra um rei impiedoso. Como observa o historiador T. Hunt:

Seu Literalismo bíblico foi associado a um temperamento terrivelmente inflamado e disseminado em suas cartas e discursos. Ele advertiu seus colegas comandantes do Cabeça Redonda: 'Prefiro ter um capitão simples de casaco avermelhado que sabe pelo que luta e ama o que aprendeu, do que aquilo que você chama de cavalheiro e nada mais é.

(xiii)

O regimento pessoal de cavalaria pesada de Cromwell, excepcionalmente forte com 14 tropas, era conhecido como "Ironsides" após o apelido dado a Cromwell pelo comandante da cavalaria monarquista, Príncipe Rupert, conde palatino do Reno e duque da Baviera (1619 -1682).

De Marston Moor para Preston

CROMWELL PEDIU UM EXÉRCITO MAIS PROFISSIONAL & UMA ABORDAGEM GERAL PARA A GUERRA CIVIL EM DEZEMBRO DE 1644.

O resultado do primeiro grande combate da Guerra Civil na batalha de Edgehill em Warwickshire em outubro de 1642 foi inconclusivo, uma falta de progresso que se tornaria típica do conflito prolongado. A Primeira Batalha de Newbury em Berkshire em setembro de 1643 terminou em outro empate. O Parlamento tinha a maior parte dos recursos e controle tanto da capital quanto da Marinha Real, então a falta de progresso foi no mínimo decepcionante. Os “Cabeças Redondas” venceram a Batalha de Marston Moor perto de York em julho de 1644, a maior batalha de todo o conflito e a primeira aparição de Oliver Cromwell. Em Marston Moor, uma ala da cavalaria parlamentar foi liderada com desenvoltura por Cromwell e Sir David Leslie (c. 1600-1682), embora Cromwell tenha sido ferido no pescoço e forçado a deixar o campo por algum tempo. Leslie e Cromwell derrotaram a cavalaria da oposição e atacaram a infantaria com grande e terrível efeito. Liderar a cavalaria e manter as tropas montadas em formação após um ataque para lançar um segundo em outra parte do campo de batalha era extremamente difícil de alcançar na prática. Era uma tática que Cromwell repetiria várias vezes à medida que a guerra avançava.

Remover publicidades
Advertisement

Apesar da derrota em Marston Moor, o Rei Charles lutou e foi a indecisa Segunda Batalha de Newbury em outubro de 1644 que persuadiu o Parlamento de que era preciso fazer mudanças em seus exércitos se quisessem alcançar a vitória final. Em Newbury, os monarquistas haviam sido superados em 2 para 1, mas a falta de coordenação entre os comandantes do Parlamento mostrou a necessidade de uma mudança. Nem mesmo Cromwell havia desfrutado de seu sucesso habitual em Newbury. O Parlamento realizou um inquérito oficial sobre o fiasco que deveria ter vencido a guerra. O Conde de Manchester foi criticado por não ser muito proativo na batalha, embora acusasse Cromwell de deslealdade em uma discussão muito pública entre os dois homens.

Oliver Cromwell at Marston Moor
Oliver Cromwell em Marston Moor
Unknown Artist (Public Domain)

No Parlamento, Cromwell solicitou um exército mais profissional e uma abordagem geral da guerra em dezembro de 1644. Em fevereiro de 1645, o Exército de Novo Tipo foi formado, financiado com impostos. Era um exército profissional em termos de equipe paga, treinamento e uma hierarquia de liderança definida. As tropas receberam Bíblias e Catecismos impressos, que delineavam a causa pela qual lutavam. Todos os regimentos tinham capelães, e havia sermões e reuniões regulares de oração.

Em abril, o Parlamento aprovou a Portaria de Autonegação, uma moção que proibia qualquer um de seus membros a ser comandante militar. O efeito foi remover comandantes politicamente poderosos, mas sem competência militar. Manchester foi uma das vítimas dessa política. O Comando Geral do Exército Modelo foi concedido a um ativista talentoso e experiente, Sir Thomas Fairfax (1612-1671). Seu segundo em comando foi nomeado por sua própria insistência sem levar em consideração a ordenança: Cromwell. Com um exército permanente que poderia entrar em campo onde seus comandantes achassem melhor e por quanto tempo levasse para obter a vitória, os Parlamentares haviam tomado uma das decisões mais importantes de toda a guerra.

Remover publicidades
Advertisement

The English Civil Wars (1642 - 1651)
As Guerras Civis Inglesas (1642 - 1651)
Simeon Netchev (CC BY-NC-SA)

O primeiro teste do Exército de Novo Tipo foi na Batalha de Naseby, Northamptonshire, em junho de 1645. O Rei Carlos liderou seu exército pessoalmente, mas o Exército Modelo foi superior em números e táticas, com a cavalaria de Cromwell mais uma vez se distinguindo - o comandante até perdeu seu capacete na briga. A infantaria monarquista foi destruída, milhares de prisioneiros foram feitos e, talvez o mais significativo, o gabinete de escrita pessoal de Charles foi levado. A correspondência do rei provou, sem dúvida, que ele não tinha intenção de negociar o fim da guerra e que estava disposto a fazer um acordo com os rebeldes irlandeses para que seu exército fosse reforçado por tropas católicas. O próprio rei, entretanto, escapou para lutar outro dia. Ele primeiro fugiu para o norte da Inglaterra e, depois de ser entregue ao Parlamento por um exército escocês, escapou de sua prisão para se estabelecer na Ilha de Wight. A partir daí, ele planejou a extensão da guerra.

A República

A Batalha de Preston em Lancashire (17-20 de agosto de 1648) foi outra grande vitória parlamentar. Cromwell liderou o Novo Modelo de Exército contra um exército escocês maior que esperava que a restauração de Carlos promovesse a Igreja Presbiteriana na Escócia e na Inglaterra. Cromwell recapturou Berwick, Carlisle e Pontefract, garantindo o norte da Inglaterra para o Parlamento. Para muitos, Carlos já era intolerável. Ele era um 'homem de sangue', um rei que havia feito guerra contra seu próprio povo.

Cromwell & the Dead King Charles
Cromwell & o Rei morto Charles
Bridgemanart (Public Domain)

A criação do 'Parlamento Rump' em dezembro de 1648 reduziu o número de deputados para apenas 150 membros mais leais. Foi, na verdade, um golpe militar, pois o todo-poderoso Exército de Novo Tipo expurgou da Câmara dos Comuns qualquer um que se opusesse a ele. O rei Carlos foi julgado, considerado culpado e executado em 30 de janeiro de 1649. A assinatura de Cromwell era a terceira na sentença de morte. Em março, o Parlamento aboliu formalmente a monarquia como instituição e a Câmara dos Lordes com ela. A Igreja Anglicana foi reformada e as Joias da Coroa Britânica vendidas. A Inglaterra tornou-se uma República, conhecida como Commonwealth of England.

Mais importante ainda, a monarquia não foi abolida na Escócia, onde, em fevereiro de 1649, o filho mais velho do falecido Rei Carlos se tornou automaticamente Carlos II da Escócia. Os escoceses apoiaram Carlos como meio de defender a Igreja Presbiteriana na Escócia, e uma de suas condições para o apoio militar era que o rei prometesse promover essa igreja na Inglaterra caso fosse feito rei lá. Havia, também, apoiadores ferrenhos na Inglaterra que consideravam Carlos seu governante legítimo, mesmo estando exilado na França. As guerras civis ainda não haviam acabado. A terceira rodada havia começado, e foi a ameaça da Escócia que mobilizou o Exército Novo mais uma vez.

Irlanda & Escócia

Antes que Cromwell pudesse lidar com os escoceses, em 1650 ele liderou um exército de 12.000 homens para esmagar impiedosamente uma rebelião monarquista na Irlanda. O Exército de Novo Tipo obteve vitórias esmagadoras em Wexford e Drogheda. Acusações de extrema violência contra soldados capturados e as centenas de mortes desnecessárias de civis na campanha irlandesa mancharam a reputação de Cromwell depois disso.

Os escoceses, por sua vez, continuaram a se reunir em torno de Carlos II, e agora tinham um exército notável em Edimburgo sob o comando de David Leslie (antigo colega de cavalaria de Cromwell em Marston Moor). O Parlamento decidiu enviar o Exército Modelo para a Escócia e eliminar esta ameaça de uma vez por todas. Fairfax não aprovou tal medida e se demitiu. Cromwell assumiu como comandante-chefe e liderou o exército pessoalmente. Ele tentou duas vezes tomar Edimburgo entre julho e agosto de 1650. Ao recuar para sua base em Dunbar, foi perseguido por Leslie, que pensou que poderia destruir os ingleses enquanto eles ficavam presos contra a costa. No final, Leslie não escolheu bem seu terreno e Cromwell transformou o que parecia um provável desastre em uma vitória gloriosa, derrotando a cavalaria e infantaria escocesa na Batalha de Dunbar em 1650. Em seguida, Cromwell tomou o Castelo de Edimburgo na véspera de Natal.

Warrant for the Execution of Charles I
Mandado de Execução de Carlos I
National Archives (Public Domain)

Os escoceses persistiram e coroaram oficialmente Carlos II em Scone no dia de Ano Novo de 1651. Em um último e desesperado lance de dados, Carlos enviou Leslie com o que restava de seu exército para invadir a Inglaterra, mas o apoio monarquista local não veio, e, de novo, Cromwell estava lá para derrotá-lo em Worcester em 3 de setembro de 1651. O Kirk da Escócia foi dissolvido e, em vez disso, representantes (como na Irlanda) foram enviados ao Parlamento de Westminster. Cromwell conseguiu o que nenhum outro rei inglês conseguiu fazer. Ele unificou a Grã-Bretanha em uma única entidade política. As guerras civis haviam terminado.

Lorde Protetor

Permaneceram sérias rachaduras nessa unificação forçada da Grã-Bretanha. O Parlamento e o exército ainda estavam em desacordo, e poucos concordavam sobre como proceder sem uma monarquia. Em 20 de abril de 1653, Cromwell entrou no Parlamento e informou seus membros que eles não estavam aptos a governar, proferindo a famosa declaração : "Você ficou sentado aqui por muito tempo pelo bem que faz. Em nome de Deus, vá!" (Phillips, 150). O 'Parlamento Rump' foi fechado. Em 16 de dezembro de 1653, Cromwell foi nomeado Lorde Protetor da Inglaterra, Escócia e Irlanda por um novo e muito menor Parlamento, depreciativamente apelidado de "Parlamento Barebones" (ou Parlamento Despojado, jogo de palavras de um de seus membros), que então votou dissolver-se e deixar o poder executivo nas mãos de Cromwell e do Conselho de Estado. Ironicamente, Lorde-Protetor era o antigo título de regente de um monarca, o que significava que Cromwell era o ditador militar da Grã-Bretanha, um rei sem nome.

A República foi dividida em distritos militares, cada um liderado por um grande general, mas o militarismo e o puritanismo particular de Cromwell não era popular. Embora houvesse maior tolerância religiosa (os católicos foram excluídos), houve alguns desenvolvimentos radicais indesejáveis. As celebrações do Natal e da Páscoa foram abolidas e certos esportes dominicais foram proibidos. Vestimentas, palavrões e outros aspectos da vida, nos quais as pessoas não estavam nada acostumadas a interferências, eram controlados. Havia também aqueles simpáticos ao sistema da monarquia, como a sociedade secreta do Nó Selado (Sealed Knot), e grupos radicais como os Niveladores (Levellers), que procuravam igualar a riqueza e estender o sufrágio. Houve pequenas revoltas ocasionais, como a liderada pelo Major General Desborough em Devon em março de 1655, mas elas foram impiedosamente derrubadas.

Gold Coin of Oliver Cromwell
Moeda de Ouro de Oliver Cromwell
cngcoins.com (CC BY-SA)

O Parlamento queria fazer de Cromwell rei, não para ganhar seu apoio, mas porque poderiam controlá-lo melhor como um monarca constitucional. Qualquer coisa era melhor do que um ditador inventando as regras à medida que ele avançava. O exército estava determinado a não apoiar um novo rei quando eles haviam passado tanto tempo se livrando do antigo. O próprio Cromwell também não aceitou o título, mas concordou em ser investido uma segunda vez como Lord Protetor, desta vez com muito esplendor e cerimônia no Westminster Hall. Isso ocorreu depois que um plano de assassinato por um Nivelador foi descoberto em janeiro de 1657, levantando a questão de quem substituiria Cromwell após sua morte. A solução foi permitir que o Lorde Protetor nomeasse seu sucessor. Aquele dia, 26 de junho de 1657, foi em muitos aspectos como tantas coroações anteriores. Cromwell sentou-se na tradicional Cadeira de Coroação e foi presenteado com um manto imperial roxo, espada e cetro. Os dignitários reunidos gritaram: "Deus salve o Senhor Protetor". A única coisa que faltava era uma coroa, mas não foi omitida nem nas moedas de Cromwell nem no seu Grande Selo.

Política Exterior

Os governantes estrangeiros olharam com horror para os acontecimentos sangrentos na Inglaterra e a execução de um rei, mas nenhum deles ofereceu ajuda prática à causa monárquica após a morte de Carlos. A desarmonia no governo da Inglaterra durante toda a década de 1650 não foi ajudada de forma alguma pelas guerras com os holandeses e depois com os espanhóis, embora Cromwell tenha ganho o respeito (se não o apoio) de outras potências europeias por seu forte domínio e o poder que exerceu à frente de seu formidável exército.

A política de Cromwell de atacar o Império Espanhol no Caribe em 1654-1655 não foi um sucesso, mas ao menos ele assegurou a Jamaica. Em 1658, a infantaria do Exército Modelo de Cromwell uniu-se aos franceses para atacar a Holanda espanhola, e assim Dunkirk foi adquirida na Batalha das Dunas em 14 de junho de 1658. Isto deve ter sido um resultado duplamente satisfatório, pois o irmão mais novo de Carlos II, James, liderou uma força monárquica do lado espanhol. A política externa do Lord Protetor teve resultados mistos na melhor das hipóteses, mas seu investimento na Marinha Real seria fundamental para fazer da Grã-Bretanha uma das grandes potências do mundo no século seguinte.

Death Mask of Oliver Cromwell
Máscara da Morte de Oliver Cromwell
Chris Nyborg (CC BY-SA)

Morte

No auge de seus poderes, mais altos que os de qualquer monarca precedente, Cromwell foi vítima do que nem ele conseguia controlar: a saúde precária. Ele morreu de pneumonia no Whitehall Palace em 3 de setembro de 1658 (a data de suas vitórias em Dunbar e Worcester). Cromwell recebeu um funeral de estado adequado a um rei - de fato, ao lado do corpo do Lorde Protetor na Abadia de Westminster havia uma coroa imperial, enquanto em suas mãos sem vida estava sua esfera e seu cetro.

O exército havia resistido ferozmente a qualquer movimento de Cromwell para nomear um herdeiro e tornar seu posto hereditário, mas em seu leito de morte, ele o fez. Seu filho Richard foi escolhido como Lorde Protetor, mas ele não tinha personalidade para sentar-se à frente dos dois tigres rabugentos do Estado: o exército e o Parlamento. Em maio de 1659, vários oficiais inferiores quebraram fileiras e tomaram partido do Parlamento, votando pela abolição do Protetorado. O exército pouco podia fazer porque estava dividido e sem uma única figura de autoridade que pudesse unir as facções. No ano seguinte, diante da escolha entre uma monarquia ou outra guerra civil, o Parlamento votou pela Restauração da Monarquia sob a pressão do General George Monck (1608-1670). Carlos voltou em maio de 1660 para se tornar Carlos II da Inglaterra (que reinou de 1660 a 1685), e foi convidado a governar ao lado da Câmara dos Lordes e da Câmara dos Comuns. Todos os atos do Parlamento de Oliver Cromwell foram anulados; a República estava morta. Para ter a dupla certeza, os restos mortais de Cromwell foram exumados da abadia de Westminster em 1661 para receber o mesmo tratamento como se ele tivesse sido executado como traidor, ou seja, o cadáver foi enforcado e decapitado, e os restos mortais foram exibidos publicamente como um aviso para aqueles que seriam reis sem coroas.

Remover publicidades
Publicidade

Perguntas e respostas

Pelo que Oliver Cromwell é mais conhecido?

Oliver Cromwell foi Lord Protetor ou ditador militar da Inglaterra e da Irlanda depois das Guerras Civis inglesas. O Parlamento, sob sua autoridade, executou Carlos I da Inglaterra em 1649.

Oliver Cromwell era um bom homem?

Oliver Cromwell era popular com algumas pessoas e impopular com outras. Comandante militar puritano e implacável, ele acreditava que Deus queria punir um rei mau (Carlos I) e que o Parlamento deveria ter mais poder político do que qualquer outra instituição ou pessoa.

De quem Oliver Cromwell era líder?

Oliver Cromwell liderou a facção puritana do Parlamento inglês. Também foi comandante de cavalaria e mais tarde comandante-chefe do Novo Modelo de Exército do Parlamento. Após a guerra Civil Inglesa, liderou o país como Lord Protetor.

Quem proibiu o Natal na Inglaterra?

O Puritano Oliver Cromwell, que era Lord Protetor, proibiu a celebração do Natal na Inglaterra nos anos de 1650. Foi um movimento bastante impopular, mas Cromwell queria simplificar os serviços e reduzir o poder da tradicional Igreja Anglicana.

Sobre o tradutor

Ellen Pastorino
Ellen Pastorino é estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Sobre o autor

Mark Cartwright
Mark é autor, pesquisador, historiador e editor em tempo integral. Seus principais interesses incluem arte, arquitetura e descobrir as ideias que todas as civilizações compartilham. Ele possui mestrado em Filosofia Política e é diretor editorial da WHE.

Citar este trabalho

Estilo APA

Cartwright, M. (2022, Fevereiro 02). Oliver Cromwell [Oliver Cromwell]. (E. Pastorino, Tradutor). World History Encyclopedia. Obtido de https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-19697/oliver-cromwell/

Estilo Chicago

Cartwright, Mark. "Oliver Cromwell." Traduzido por Ellen Pastorino. World History Encyclopedia. Última modificação Fevereiro 02, 2022. https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-19697/oliver-cromwell/.

Estilo MLA

Cartwright, Mark. "Oliver Cromwell." Traduzido por Ellen Pastorino. World History Encyclopedia. World History Encyclopedia, 02 Fev 2022. Web. 20 Abr 2024.