Edgar Degas

Definição

Mark Cartwright
por , traduzido por Joana P. Silveira
publicado em 29 Março 2022
Disponível noutras línguas: Inglês, francês, espanhol, Turco
X
Self-portrait by Degas (by wikiart.org, Public Domain)
Autorretrato, por Degas
wikiart.org (Public Domain)

Edgar Degas (1834-1917) foi um pintor impressionista francês que utilizava diferentes técnicas para registrar dançarinos, banhistas, corridas de cavalos e cenas da sociedade nos cafés de Paris. Degas era um fotógrafo entusiasta e suas pinturas mostram frequentemente a vida real capturada num momento no tempo, muitas vezes com um ponto de vista, uma composição e um enquadramento pouco usuais, técnicas que se revelariam influentes em artistas posteriores.

Início de Carreira

Hilaire-Germain-Edgar De Gas (mais conhecido como Edgar Degas), nasceu em 19 de julho de 1834 em Paris. Seus pais eram ricos burgueses banqueiros. Seu pai, Auguste, era franco-italiano e sua mãe, Célestine Musson, era uma crioula americana de ascendência francesa da Louisiana. Quando jovem, Edgar estudou no Lycée Louis-le-Grand de Paris e obteve seu bacharelado em literatura. Numa família já bastante rica, mas com aspirações de ascender ainda mais socialmente, Edgar foi encorajado a tornar-se o jovem talentoso e elegante da época e a estudar formalmente arte e música com vários tutores. Ele também começou a estudar direito, mas logo ficou claro que seu dom era a arte.

Remover publicidades
Publicidade

Em 1885, Degas se matriculou na Escola de Belas Artes de Paris. Ele estudou e copiou os antigos mestres no Louvre. Em 1856, ele foi ver em primeira mão a arte renascentista da Itália em uma viagem em que passou por Florença, Roma, Nápoles e Veneza. Ele fez esboços da arte da antiguidade, obras renascentistas, cores locais e produziu sua primeira grande pintura, The Bellelli Family (A Família Bellelli), enquanto estava hospedado na casa de sua tia Laura Bellelli, em Florença, em 1858.

De volta a Paris, Edgar teve como tutores Louis Lamothe (1822-1869) e depois Nicolas Soutzo (1834-1907). Esta formação artística tradicional levou o jovem Degas a tentar tornar-se um pintor histórico, ou seja, um artista que retrata grandes cenas religiosas ou históricas, como os grandes artistas renascentistas haviam feito. São exemplos de seu trabalho neste gênero Young Spartans Exercising e Seminamis Building Babylon, ambos pintados por volta de 1861. Degas continuou a trabalhar no Young Spartans nos anos seguintes.

Remover publicidades
Publicidade

Young Spartans Exercising by Degas
Jovens Espartanos se Exercitando ,por Degas
National Gallery (Public Domain)

Os retratos foram outro caminho que ele explorou e no qual obteve mais êxito para alcançar seus objetivos. Interessado em dar ao seu trabalho um elemento psicológico e também profundidade, Degas frequentemente pintava retratos duplos onde as atitudes e emoções são mostradas de forma diferente entre as duas pessoas na pintura. Uma característica recorrente nos retratos de Degas é o uso de uma pintura dentro da pintura. Assim como os artistas renascentistas que usavam objetos como símbolos que poderiam transmitir um significado mais profundo a um observador conhecedor, Degas frequentemente incluía uma pintura notável que salientava a personalidade da pessoa retratada. No entanto, foi outro épico histórico, Medieval War Scene, que o fez ser notado pela primeira vez pelo júri do Salão de Paris, em 1865.

EM SEU TRABALHO, DEGAS DEU GRANDE IMPORTÂNCIA AO DESENHO, FORMA E COMPOSIÇÃO.

Possivelmente insatisfeito com as limitações de estar muito ligado ao passado ou talvez sensível às mudanças na arte contemporânea, Degas passou a registrar a vida cotidiana tal como acontecia nos círculos com os quais estava mais familiarizado: a Paris burguesa. A primeira obra que mostra essa transição é “Mademoiselle Fiocre in the Ballet ‘La Source’ ”, apesar de manter também o estilo histórico da pintura. A obra foi exibida no Salão de Paris em 1868. O artista estava prestes a mudar totalmente e adotar temas modernos para suas obras. Porém, a longa imersão de Degas na arte clássica e nos artistas neoclássicos mais recentes como Jean- Auguste –Dominique Ingres (1780-1867) teve um efeito duradouro na importância que ele deu ao desenho, à forma e à composição, assim como no destaque que ele deu ao nu feminino. Como Ingres disse a Degas: “Desenhe linhas, jovem, muitas linhas“ (Howard, 42). Este foco significou que Degas foi provavelmente o desenhista superior de todos os pintores impressionistas de sua geração, um ponto observado por muitos críticos.

Remover publicidades
Publicidade

Medieval War Scene by Degas
Cena de guerra medieval, por Degas
Musée d'Orsay (Public Domain)

O Artista Temperamental

Degas tinha um caráter complexo e até mesmo seus amigos artistas parecem considerá-lo muitas vezes exasperante, principalmente porque sua famosa inteligência conseguia encantar e ferir. O historiador de arte V. Bouruet Aubertot fez o seguinte resumo da personalidade de Degas:

Rústico, mas sensível, arrogante e perspicaz, intransigente e inquieto, Edgar Degas era um homem de paradoxos... ele manteve amizades verdadeiras e manteve-se bravamente independente dos círculos oficiais e dos caprichos da moda.

(312)

Degas teve a sorte de ter uma família rica e, durante grande parte de sua carreira, não teve que se preocupar em ganhar a vida através de sua arte. Em termos de vendas ao público, Degas primeiro se destacou como pintor de retratos, e seu estilo realista foi aclamado pela crítica. Ao contrário de muitos outros impressionistas, ele construiu uma cartela fiel de clientes que compravam seu trabalho. Ele também era um consumidor de arte, principalmente de pintores do século XIX e outros impressionistas, e colecionava também fantoches napolitanos.

Image Gallery

Edgar Degas: A Gallery of 30 Paintings

In this gallery, we showcase 30 paintings by Edgar Degas (1834-1917) the French impressionist painter whose innovations contributed to a new definition...

Colegas Impressionistas

Na década de 1860, um grupo de jovens artistas de vanguarda andava junto pelos cafés de Paris. Eles discutiam apaixonadamente qual deveria ser a nova direção da arte, frequentavam principalmente o Café Guerbois e outros nas redondezas de Batignolles, em Paris. Este grupo incluía nomes que futuramente seriam muito conhecidos, como Paul Cézanne (1839-1906), Pierre-Auguste Renoir (1841-1919), Claude Monet (1840-1926) e Edouard Manet (1832-1883). Também se juntaram a eles o escritor Émile Zola (1840-1902). Degas era membro desse grupo que ficou conhecido como ‘ Os Batignolles’. Às vezes, ficava um pouco isolado do grupo, mais por sua atitude do que por qualquer outra coisa, e nem sempre se dava bem com Manet, o líder de fato, mesmo que os dois fossem os mais próximos artisticamente. Manet não gostou da ampliação do grupo feita por Degas para incluir sangue novo e artistas mais interessados no realismo do que no impressionismo.

Remover publicidades
Publicidade

The Bellelli Family by Degas
A família Bellelli , por Degas
Musée d'Orsay (Public Domain)

Degas era muito próximo de duas artistas proeminentes: Mary Cassatt (1844-1926) e Berthe Moristo (1841-1895), ambas foram apresentadas ao grupo impressionista. Esta última, certa vez descreveu Degas em uma carta como “ sempre o mesmo, um pouco louco, mas de espírito encantador” (Bouruet Aubertot, 314). Degas nunca se casou e manteve sua vida particular privada, de modo que o único vislumbre que temos dela são alguns comentários cautelosos daqueles poucos amigos que se aproximaram o suficiente do artista para serem convidados a irem ao seu estúdio em Montmartre. Como Degas disse uma certa vez: “ O artista deve ser discreto, sua vida privada deve ser desconhecida”. (Roe, 35).

O grupo de artistas se desfez em julho de 1870 com a eclosão da Guerra Franco – Prussiana. Degas ingressou como voluntário na Guarda Nacional para defender Paris durante o cerco à capital; Manet fez o mesmo. Degas continuou a fazer esboços de seus colegas da artilharia francesa. Seguiu-se então uma guerra civil que causou interrupções a carreira de todos. Foi o momento ideal para fugir da turbulência e, em 1872, Degas foi para os Estados Unidos, navegando para Nova Orleans para ver sua família materna. Lá ele criou uma obra-prima moderna, The Cotton Market, New Orleans, de 1873. O cenário é um escritório movimentado com 13 pessoas, entre compradores, corretores e funcionários, todos em torno de uma longa mesa central forrada de algodão.

The Cotton Market, New Orleans by Degas
O mercado de algodão de Nova Orleans, por Degas
Musée-des-Beaux-Arts, Pau (Public Domain)

Em abril de 1874, Degas estava de volta a Paris, agora em tempos de paz. Os artistas impressionistas organizaram a sua própria mostra independente desafiando o monopólio do Salão de Paris. Esta foi a Primeira Exposição Impressionista, e Degas participou com dez pinturas, desenhos em pastel e esboços. Ele participou novamente das cinco exposições impressionistas seguintes (1876-81) e foi frequentemente um dos artistas mais bem recebidos pela crítica ultraconservadora.

Remover publicidades
Publicidade

Estilo e Interesses de Degas

Degas pintou sobre diversos assuntos, mas alguns temas aparecem repetidamente em seu trabalho. Ele tinha muito interesse em cavalos e por isso passava muito tempo estudando-os nas elegantes pistas de corrida de Paris. A cor do circo, a agitação da sociedade dos cafés e a solenidade da bolsa de valores também chamavam sua atenção. Um assunto acima de tudo parece ter encantado o artista: o mundo do teatro, principalmente a ópera e o balé. Outro tema comum que interessava ao artista é a visão dos bastidores da apresentação pública: Degas gostava muito de mostrar cavalos entre corridas e bailarinas em seus ensaios.

AS CENAS DE CORRIDA DE DEGAS TÊM PONTOS DE CORTE, ASSIMETRIA E PERSPECTIVA INCOMUNS.

A década de 1860 foi a era de ouro das corridas de cavalos, e o interesse de Degas em capturar cavalos puro-sangue de forma realista pode ser rastreado através de seus esboços até os primeiros anos de sua carreira. Outra característica do esporte que o interessou muito foi a tensão logo antes do início da corrida ou após uma largada falsa. Muitas de suas pinturas mostram a qualidade do friso que observamos anteriormente, mas agora ele adicionou a influência das gravuras japonesas (muito populares na França na época). As cenas têm pontos de corte, assimetria e perspectiva incomuns; eles são deliberadamente peculiares, de modo que o equilíbrio da imagem fica desequilibrado, como se ele tivesse tirado uma fotografia um segundo antes ou um pouco tarde demais. O efeito é dar `a pintura um novo realismo, literalmente um instantâneo pintado em oposição a uma fotografia de estúdio formal e posada. Um excelente exemplo desta técnica é Jockeys before the Race (c. 1878-9).

Jockeys before the Race by Degas
Jóqueis antes da corrida, por Degas
Barber Institute of Fine Arts (Public Domain)

Degas é hoje mais famoso por suas diversas representações de bailarinas. Questionado por um amigo por que achava o assunto tão intrigante, Degas respondeu: “ Porque ...é tudo o que nos resta dos movimentos combinados dos gregos. ” (Kear, 46). Em 1878, quando a família Degas faliu, também pode ter sido acrescentada uma razão mais prática para pintar bailarinas. Edgar não era um grande poupador, apesar de seu sucesso, e seu amor por colecionar arte significava que ele agora precisava conseguir recursos. As bailarinas eram um tema que ele poderia vender aos conhecedores de arte. Sua pintura mais famosa sobre esse tema é A Estrela, de 1876, onde uma única dançarina é vista de cima, como se estivesse em um camarote caro. Tal como acontece com as corridas de cavalos, as bailarinas são frequentemente mostradas em preparação ou recebendo os aplausos do público, mas não se apresentando de fato. Degas torna-se mais impressionista pintando bailarinas, capturando a estranha luz artificial lançada pelas luzes do palco sobre os performers. Os bastidores das bailarinas muitas vezes revelam as tensões físicas e as provações mentais de ensaios intermináveis para aquelas bailarinas que queriam chegar ao topo da sua profissão.

Os papéis contrastantes de homens e mulheres são um tema recorrente ao longo da carreira de Degas. Isso pode ser visto em retratos duplos, em um público masculino observando dançarinas ou em um instrutor masculino em uma aula de bailarina. A expressão máxima deste interesse pode ser vista em Interior, obra que o artista sempre guardou para mostrar aos visitantes. Pintado por volta do ano de 1868, mas recebendo ajustes posteriores, a cena de interior apresenta uma relação desconhecida entre um homem e uma mulher em um quarto, no sentido mais exato, então, esta não é uma pintura de gênero onde uma narrativa é claramente explicada ao espectador (mesmo que de maneira um pouco ambígua). No entanto, o próprio Degas frequentemente se referia a ela como “minha imagem de gênero” (Kear, 40). O artista nunca disse aos seus visitantes o que a cena significativa, pois, como ele afirmou certa vez, “ uma pintura exige um certo mistério, alguma imprecisão, alguma fantasia. “ (Kear, 41).

Interior by Degas
Interior, por Degas
Philadelphia Museum of Art (Public Domain)

Degas era um tipo de pintor ligeiramente diferente, embora fizesse parte do grupo impressionista. Na verdade, ele preferia rotular o grupo de artistas de vanguarda como “ pintores independentes”, uma vez que nenhum estilo combinava com todos eles. Degas preferiu o método tradicional de esboçar uma cena e pintá-la no conforto do estúdio do que a típica abordagem impressionista de pintar ao ar livre (em plein air). Como ele afirmou certa vez, “ você precisa de luz natural, mas eu preciso de luz artificial “ (Bouruet Aubertot, 313). Degas frequentemente traçava desenhos de figuras e juntava várias combinações para criar uma nova composição. Consequentemente, às vezes é possível ver a pose de uma bailarina em uma de suas obras mostrando banhistas. Degas continuou a ser, tal como os Velhos Mestres, um defensor ferrenho da necessidade de boas linhas e desenho. O impressionismo de Degas não se concentrava em capturar o jogo temporário da luz nas cores, mas em capturar uma pessoa ou cena de uma forma nova. Em suma, ele, como vários outros do grupo, viu as limitações de uma abordagem puramente impressionista, especialmente em assuntos onde era necessária uma maior proximidade com a realidade.

Degas era muito interessado em fotografia e foi um dos poucos a perceber que esta era, na verdade, uma nova forma de arte. Ele mesmo tirou fotos e, a partir do repertório de fotógrafo, Degas aplicou ideias como enquadramento inovador, não deixar o assunto no centro e dar uma perspectiva elevada. Desta forma, o pintor deu à sua obra um sentido de movimento e realismo.

The Star by Degas
A estrela, por Degas
Musée d'Orsay (Public Domain)

Degas também gostava de experimentar diferentes mídias. Além de tintas a óleo, usava frequentemente guache, ou seja, óleos diluídos que faziam o trabalho parecer mais uma aquarela. Ele usou muitos pastéis e, por um período, estudou a fundo a arte da gravura e da impressão de monotipia. Muitas vezes ele combinava monotipia e pastel na mesma imagem. Ele também esculpiu, especialmente no final de sua carreira, quando sua visão estava falhando, usando principalmente cera, argila e gesso para capturar poses do corpo humano. Uma de suas esculturas mais célebres é la Petite Danseuse de Quatorze Ans (Pequena Dançarina de Quatorze Anos), criada por volta de 1878.

Carreira Posterior

Degas foi representado na mostra impressionista no Hotel du Grand Miroir de Bruxelas em 1885. Foi a partir dessa época que o artista entrou numa nova fase onde se concentrou menos nas cenas da vida quotidiana de Paris e muito mais na forma estética da sua obra e capturar a forma do corpo humano, normalmente vista em dançarinos e banhistas. Uma obra célebre dessa nova fase é A Banheira, de 1886, que mostra uma mulher tomando banho a partir de um inusitado mirante elevado e com a cena cortada verticalmente por uma prateleira. Esta pintura, e outras obras semelhantes, impressionam pela falta de distância que Degas proporciona entre o observador e o sujeito.

Muitos desses estudos femininos posteriores não dão nenhum caráter individual à mulher retratada, e isso acrescentou combustível à reputação já latente de Degas como misógina. Outros veem este anonimato – quase nunca vemos o rosto – como um de remover qualquer desejo sensual e, assim, o espectador, ainda deixado como um voyeur, é agora apenas um admirador da forma feminina universal, ocupado com uma tarefa diária funcional. A mulher que é o foco destes trabalhos desconhece completamente que não está sozinha; sabemos que ela é uma modelo de artista, mas ela está fazendo o que os modelos de artista costumam fazer. Tal como acontece com a corridas e as bailarinas, temos um vislumbre da vida dos bastidores.

The Tub by Degas
A banheira, por Degas
Musée d'Orsay (Public Domain)

Em 1889, o artista viajou para Espanha e Marrocos. Em 1892, visitou a Suíça e o sudoeste da França. Nesse ano organizou uma nova exposição em Paris, surpreendendo a todos com o seu regresso às paisagens. Essas obras têm várias semelhanças: usam pastéis, não mostram pessoas, são criadas em estúdio e têm uma aparência um pouco confusa (levando um crítico a compará-las a vistas de um trem rápido). Parecem ser um exercício de apresentação de tons de cores harmoniosas e, portanto, a paisagem física parece em grande parte imaterial.

Em 1896, Degas exibiu suas fotografias e continuou com seus trabalhos em pastel e escultura, mas sua visão deficiente fez com que sua produção e o número de aparições públicas diminuíssem. No século XX, o artista vivia uma vida aposentada, mas sua reputação crescia continuamente no mundo exterior. Em 1911, o Louvre adquiriu 19 obras de Degas, uma honra geralmente concedida apenas após a morte de um artista; talvez de forma criativa, Degas já o tivesse feito.

Legado e Morte

Edgar Degas morreu aos 83 anos, em 27 de setembro de 1917, em seu apartamento em Paris. Ele foi enterrado no cemitério de Montmartre. Degas nunca se casou e nem teve filhos. Como ele disse certa vez “ Existe amor e existe arte e só temos um coração” (Kear, 66). Degas teve uma longa carreira e ganhou mais reconhecimento do que a maioria dos outros artistas de sua geração. Camille Pissarro escreveu certa vez em uma carta “Degas é sem dúvida o maior artista do nosso tempo” (Kear, 86). Ele também foi muito admirado pela geração seguinte de artistas, notadamente Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901). O conhecimento de Degas sobre a história da arte, o domínio do desenho, as inovações e a defesa da vida cotidiana foram ingredientes essenciais no que ficou conhecido como arte moderna. Os pontos de vista incomuns os efeitos estranhos de iluminação e a tensão psicológica que permeiam as obras de Degas garantiram que elas continuassem a fascinar e a inspirar hoje, assim como faziam há mais de um século.

Remover publicidades
Publicidade

Perguntas e respostas

Por que Edgar Degas é conhecido?

Edgar Degas é conhecido por ser um influente pintor impressionista do século XIX que se concentrou em retratar dançarinos, corridas de cavalos, banhistas e a vida cotidiana nos cafés de Paris.

Edgar Degas ficou cego?

Edgar Degas perdeu parte da visão `a medida que envelhecia, embora não fosse completamente cego. Por isso, se concentrou mais na escultura no final da vida.

Como Edgar Degas influenciou a arte europeia?

Edgar Degas influenciou a arte europeia ao pintar a vida cotidiana de Paris. E deu ao seu trabalho uma profundidade psicológica através de uma forma pouco comum de composição, enquadramento e perspectiva nas cenas retratadas.

Sobre o tradutor

Joana P. Silveira
Tradutora freelance e jornalista do Brasil, trabalha com o par de idiomas inglês - português. Ela se interessa muito por história, línguas, viajar e conhecer outras culturas.

Sobre o autor

Mark Cartwright
Mark é autor, pesquisador, historiador e editor em tempo integral. Seus principais interesses incluem arte, arquitetura e descobrir as ideias que todas as civilizações compartilham. Ele possui mestrado em Filosofia Política e é diretor editorial da WHE.

Citar este trabalho

Estilo APA

Cartwright, M. (2022, Março 29). Edgar Degas [Edgar Degas]. (J. P. Silveira, Tradutor). World History Encyclopedia. Obtido de https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-20669/edgar-degas/

Estilo Chicago

Cartwright, Mark. "Edgar Degas." Traduzido por Joana P. Silveira. World History Encyclopedia. Última modificação Março 29, 2022. https://www.worldhistory.org/trans/pt/1-20669/edgar-degas/.

Estilo MLA

Cartwright, Mark. "Edgar Degas." Traduzido por Joana P. Silveira. World History Encyclopedia. World History Encyclopedia, 29 Mar 2022. Web. 25 Mai 2024.